Universo Matrix: realidade/ virtual?

27 Nov

Realidade significa a propriedade do que é real. Aquilo que é, que existe. O atributo do existente.
O real é tido como aquilo que existe, fora da mente. Ou dentro dela também. E é, portanto real, embora possa ser ou não ilusória. A ilusão quando existente, é real e verdadeira em si mesma. Ela não nega sua natureza. Ela diz sim a si mesma. A realidade interna ao ser, seu mundo das idéias, enquanto entes fictícios, imaginários, idealizado no sentido de tornar-se idéia, e ser idéia, pode – ou não – ser existente e real também no mundo externo. O que não nega a realidade da sua existência enquanto ente imaginário, idealizado.
Quanto ao externo – o fato de poder ser percebido só pela mente – torna-se sinônimo de interpretação da realidade, de uma aproximação com a verdade. A relação íntima entre realidade e verdade, o modo em como a mente interpreta a realidade, é uma polêmica antiga.

Realidade Virtual, ou ambiente virtual é uma tecnologia de interface avançada entre um usuário e um sistema computacional. O objetivo dessa tecnologia é recriar ao máximo a sensação de realidade para um indivíduo, levando-o a adotar essa interação como uma de suas realidades temporais. Para isso, essa interação é realizada em tempo real, com o uso de técnicas e de equipamentos computacionais que ajudem na ampliação do sentimento de presença do usuário.
A realidade virtual também se estende a uma apreensão de um universo não real, mas permeando em um processo de significação o espectador desse falso universo o fornece créditos de um universo real. Em suma, uma realidade ficcional, contudo através de relações intelectuais, a compreendemos como sendo muito próxima do universo real que conhecemos.
Matrix é uma obra de arte multimídia repleta de mensagens sutis, dentre as quais a de que a máquina jamais controlará o homem, pois seu “comportamento” é baseado em programas e programas podem ser entendidos pela complexa mente humana que transcende a simples racionalidade da lógica ao constituir o ser integralmente.
No filme eles mostravam uma realidade virtual, em que o mundo real era dominado por máquinas.
Aquilo que vemos pode não ser exatamente como vemos, somente o que é captado pelos nossos sentidos, não capta o que se encontra noutras dimensões.

Que conclusão podemos chegar então da realidade? Que cada um tem a sua e a tem como sua verdade. Há 15 anos o universo Matrix tido como possibilidade de real era algo totalmente ignorado e desconhecido. Dentro deste mundo hipermidiático e interativo abriu-se um leque infinito de teorias, de verdades e mentiras e cabe a nós escolher aquilo que é real, virtual ou algo simplesmente incogitável.
Na interpretação ou representação do real, a realidade está sujeita ao campo das escolhas, isto é, determinamos parte do que consideramos ser um fato, ato ou uma possibilidade, algo adquirido a partir dos sentidos e do conhecimento adquirido. Dessa forma, a construção das coisas e as nossas relações dependem de um intrincado contexto, que ao longo da existência cria a lente entre a aprendizagem e o desejo: o que vamos aceitar como real?

DMD 4A
Giuliana Magnoli
Edgard A. Imamura

Igor E Muzelli

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: